Umbanda e a Quaresma

Para os que chegam aqui pelo google, curiosos sobre umbanda…

A Quaresma é um período em que se relembra o período entra morte e a Ressurreição de Jesus Cristo ( Pai Oxalá) e é quando nossos orixás e guias de primeira linha param para avaliação do ano espiritual em termino, è também onde traçam o plano espiritual para o ano a começar.

Todas as almas e entidades de vibrações mais baixas podem escolher que caminho vão seguir no início desse novo ano… todos os portais estão abertos e os guias da luz não podem interferir diretamente nas escolhas e atos nem dos vivos, nem dos mortos. É nessa época em que as vertentes do mal podem trabalhar à vontade…Por isso, na quaresma, as coisas costumam ficar pesadas, difíceis…. é a sua fé sendo colocada a prova.

Antigamente os terreiros fechavam no período de quaresma, fechavam na gira de cinzas onde os filhos eram cruzados pelos pretos velhos com cinzas afim de proteção conta fluidos negativos e maus espíritos neste período e só reabriria na sexta feira santa , onde se iniciava a vigília, traçava-se um cruzeiro no chão com pemba e o contornava com velas brancas , assim velando o cruzeiro e rezando diversos terços até o estouro de aleluia. O conga era fechado com cortinas roxas ou brancas os santos cobertos e tudo só era retirado após o estouro de aleluia.

No sábado de aleluia ao meio dia os pretos velhos faziam a incorporação em seus médiuns , estouravam a aleluia , e faziam o levantamento do cruzeiro velado
Estava cumprida a penitencia de quaresma e os médiuns já preparados para a ceia de Páscoa.

Nos dias de hoje, essa questão da Quaresma é meio complicada, Cada lugar trabalha de uma forma. Onde eu freqüento, os trabalhos continuam, mas não fazemos os toques de atabaque, pois não é um momento de ‘festa’. Durante este período é Apropriado para meditação.

A Quaresma dura na verdade 47 dias, uma vez que no calendário litúrgico os domingos não são contados, perfazendo então 40 dias. A duração da Quaresma está baseada no simbolismo do número quarenta na Bíblia, o número quatro simboliza o universo material e os zeros que o seguem significam o tempo de nossa vida na Terra, com suas provações e dificuldades. Nesta, fala-se dos quarenta dias do dilúvio, dos quarenta anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto, dos quarenta dias de Moisés e de Elias na montanha, dos quarenta dias que Jesus passou no deserto antes de começar sua vida pública, dos 400 anos que durou o exílio dos judeus no Egito…

Tristinha

Tristinha… chegaram antes de mim no apartamento que eu estava namorando… mas… com tudo o que resovi correndo por conta desse, assim que aparecer outro, estará tudo certinho no mesmo momento. É o que me consola, mas nadar, nadar, nadar e morrer na praia é realmente “broxante”.
Também, só eu pra querer moleza na última parte da quaresma. Dã.

Já diria Axl Rose, ‘All we nedd is just a littlle patience…’

Ok, sentar na beiradinha e balançar os pezinhos até tudo passar….

Criatividade

Acho que nem todos vão entender, essa… mas preciso postar para eternizar. Um amigo meu, estudando a história da umbanda em uma apostila que eu dei. Me chama no msn:

amigo meu diz:
*uia…
Dehli – Só sou feliz de sexta a domingo… diz:
*
?
amigo meu diz:
*no Candomblé de Caboclo, já Utilizavam o ipadê
*e o Steve Jobs anunciando como novidade
Dehli – Só sou feliz de sexta a domingo… diz:
*kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
*vc nao vai pro céu

Existem rios que não secam, nem suas águas diminuem,
Porque de onde eles fluem, há uma fonte perene.
Existem riachos tão limpos, que mesmo se alguém os turva
Em pouco tempo se limpam. Seu leito não vem da lama.

Existem amores tristes que já nem mais são amores.
Não deu certo aquele sim.
Arrastam sua existência sem saber qual o seu fim .
Eu, por mim, ainda creio nos amores mais serenos,
Que não nascem de repente, e foram cultivados,
Passo a passo , palmo a palmo, tranqüilos e sem venenos
pensados, dialogados, orados e acompanhados.

Amores sem ameaças, sem “dá cá” “quero o que é meu”
E que não são possessivos, porque o “nós” é mais que o “eu”

Existem amores puros, bonitos de a gente ver
Dá pra ver que tem ternura, paciência e mansidão
Cede ela, cede ele, e quem tiver que ceder,
Mas ninguém é derrotado , pois não é competição.

O amor quando é delícia, tem um pouco de malícia,
pois não é amor ingênuo
mas tem seu lado inocente, insistente , persistente,
de apostar que vai dar certo , se o outro estiver por perto,
mesmo que venham problemas.
O amor supera os dilemas.

Existem amores santos, voltados para o infinito.
É o amor mais bonito que se possa imaginar
Os dois se querem com fome,
Sonham misturar seus nomes , seus corpos e corações
Sonham gerar novas vidas, querem ser parte de um todo
Pois acreditam que o céu tem algo a ver com os dois.
Alguém maior do que tudo queria os dois numa carne
Num encontro de ternura , mergulho de sentimentos,
coisa de almas maduras.

Existem bons casamentos e casamentos feridos.
Bons quando os dois conseguem
Ser esposa e ser marido.
Feridos se um deles erra, e às vezes os dois erraram
Ele não é para ela , e nem ela é para ele
A paz que tanto sonharam.

Não deu certo aquela casa, rachou, fendeu, não protege
Não tem mais chance nenhuma, não progrediu, não se rege.
Uma das vigas da casa , algumas vezes as duas
Perderam a sua força , não tiveram paciência
Perderam a incoência, não souberam suportar
E destelharam a casa, foram fundar outro lar.

Felizes aquelas almas que ainda sonham bonito
Dentro de um sonho infinito
Maior que os dois sonhadores

Pois estes são os amores que acabam dando certo
É que eles sonham de perto,
um vendo o outro sonhar
e o sonho é tão delicioso, que na hora de acordar
querem sonhar mais um pouco

De sonhos e de esperanças , e de bem-aventuranças,
De perdão e sacrifícios, de paciência e ternura
E do colo um do outro o casamento foi feito.

Mas se vai embora a ternura, e vem as palavras duras
as exigências terríveis e as cobranças impossíveis,
“Você não faz nada por mim” “Me prove que ainda me ama”
“Não vale a pena esta cama” “Não vale a pena nós dois”
“Você não é mais aquela” “Você que não é aquele”
Acabou o sentimento, acabou o casamento,
O barco está soçobrando, um dos dois está sobrando,
O amor não está queimando e nem mesmo há fogo brando.

Aí a gente se assusta, pois quando um amor se apaga
duas estrelas se apagam no céu da comunidade.
Por mais que se reacendam em qualquer outro lugar
Fica a lembrança do barco que não conseguiu chegar.

Que o amor de vocês dois , que é feito de tantos sonhos
Tenha um futuro risonho, e se surgirem dilemas
Não importam os problemas, vocês irão resolver
Com meus amigos eu acho que vocês dois são riachos
cujo encontro foi perfeito
foram limando os defeitos e o que sobrou é bonito
há um amor infinito, brilhando agora nos dois

E a gente que veio à festa , lhes dá um beijo na testa
E os abençoa serena. Amor assim vale a pena.
Sejam felizes pra sempre.
Se não pedir demais, arranjem um , dois ou mais
queridos como vocês , pois onde houver dois ou três,
Jesus vai estar no meio. Foi pra isso que Ele veio
Pra santificar a gente.

Parabéns , vocês se amam.
Coragem , vão precisar.
Mas do jeito que se amam,
Continuem a sonhar
Tem Deus neste casamento.
Por isso é um sacramento.

Santa facada

Sou macumbeira e por isso não quero me casar na igreja. Mas, nem por isso deixo de ir a casamentos assim e de achar lindo … mas.. vâmucombiná que os valores forçam?

Igreja cobra mais caro por casamento e impõe serviço

Noivo paga até R$ 6.000 pela cerimônia e tem de contratar serviços que padre indicar

Arquidiocese estabelece que taxa pelo casamento não seja superior à do civil; igrejas dizem seguir norma, mas têm despesas extras

RICARDO GALLO DA REPORTAGEM LOCAL – FOLHA DE SÃO PAULO

Gisele (nome fictício), 29, pagou R$ 2.000 para se casar em uma das mais tradicionais igrejas de São Paulo, a Nossa Senhora do Brasil, na avenida Brasil (zona oeste). Ela nem se importou com o preço -muito acima do estabelecido pela própria Igreja Católica-, mas se surpreendeu ao ser informada de que só poderia contratar os serviços de foto e vídeo, entre outros, que a igreja indicasse.
“Tem que ser tudo do livrinho [a lista da igreja]. É um absurdo. Estava quase desistindo de me casar lá, mas a família do meu noivo queria muito”, disse.
Pelas normas da Arquidiocese de São Paulo, a taxa de casamento religioso não pode ser maior que a do civil -R$ 246,30. O preço sobe para R$ 821, se o juiz for até o local da cerimônia. Já a imposição ou restrição de serviços ao consumidor é considerada prática abusiva pelo Procon.
As duas situações são corriqueiras nas principais igrejas de São Paulo. A reportagem encontrou ao menos sete igrejas que cobram entre R$ 1.000 e R$ 6.000 pelo casamento. E, em quatro, há lista de fornecedores ou serviços embutidos que os candidatos a noivos são obrigados a contratar.
As igrejas, em geral, dizem que o custo de casamento não supera o que a arquidiocese preconiza. Elas usam um expediente previsto pela arquidiocese que lhes permite incluir no custo do casamento despesas não relacionadas ao rito, como gastos com luz, limpeza e estacionamento. E dizem reverter o que ganham para manutenção e obras sociais.
Na Nossa Senhora do Brasil, onde se casou o piloto Felipe Massa, por exemplo, o preço de R$ 2.000 só vale para 2010. No ano que vem, serão R$ 2.200. São cerca de 30 casamentos por mês, em média.
O guia com os fornecedores credenciados tem, entre outros, serviços de floricultura, foto e vídeo. Para estar no guia, cada prestador de serviço paga R$ 2.000 anuais, mais R$ 200 por casamento em que atuar. Embora a igreja admita que é obrigatório, o pagamento é chamado de “contribuição”.
Outras igrejas disputadas fazem o mesmo. A Perpétuo Socorro (Jardim Paulistano) e a Cruz Torta (Alto de Pinheiros) também mantêm “livrinhos” que obrigam o casal a contratar determinados serviços. Em seu site, a Cruz Torta informa que empresas não credenciadas podem prestar serviço de foto, filmagem e decoração, se os noivos quiserem -desde que paguem R$ 1.300 cada uma.
Com o preço mais alto entre os templos consultados (R$ 6.000), o mosteiro de São Bento disse que o valor inclui outros serviços, como o profissional responsável pelo órgão e assessoria cerimonial. O mosteiro permite contratação de prestadores de serviço de fora.
Nas igrejas consultadas, marcar a data do casamento pode exigir certa paciência dos noivos. Na Nossa Senhora do Brasil, por exemplo, a espera pode superar um ano, a depender do dia e do horário.

Casamento no Campo

Visual e infra-estrutura

Escolha cuidadosamente, sempre dando preferência à locais de fácil acesso (ok!)que já possuam infra-estrutura adequada para eventos. Uma chácara ou sítio utilizado para reunir amigos e familiares pode ter um belo visual, mas na maioria das vezes, não está preparado para um evento deste porte. Você pode adequar o imóvel, porém, isto provavelmente ficará muito mais caro!

Como não é possível prever se estará chovendo na data escolhida, dê preferência à locais que tenham áreas cobertas para cerimônia e festa ou possibilidade de colocar uma cobertura (ok!). No caso da cerimônia ao ar livre, a cobertura, além de proteger os convidados da chuva também amenizará o calor dos eventos diurnos, principal responsável por cerimônias vazias em dias ensolarados.

Observe se o local possui uma boa infra-estrutura: Há sanitários suficientes? A rede elétrica suporta os equipamentos de som e iluminação? Possui gerador? Acredite, imprevistos acontecem e um casamento sem luz ou música pode ser um desastre.

Verifique também se a área coberta acomodará todos os convidados, se há um espaço funcional para o bom desempenho do serviço de buffet e estacionamento para todos.(ok!) Ter acessos internos calçados de uma parte à outra também é indispensável, pois mulheres de salto não conseguem caminhar com segurança sobre a grama ou terra.

Antes de começar a pagar, exija um contrato especificando tudo que está incluído neste valor. Se o local também oferece decoração, peça para que mencionem a quantidade de arranjos e quais as flores serão utilizadas. É um direito seu!

Caso não haja portaria no local, é fundamental a contratação de uma empresa de segurança.

DECORAÇÃO DO AMBIENTE

Se o casamento for realizado durante o dia, aproveite a beleza natural do lugar e complemente com flores da estação à sua escolha. Se o local já possui um belo jardim, não exagere na quantidade de arranjos.

Se a festa for se estender até a noite, dê atenção especial à iluminação. Velas e tochas são muito bonitas, mas podem não ser suficientes para iluminar todo o ambiente. Um bom profissional da área poderá orientá-los melhor.

Muito cuidado com a cobertura do bolo, especialmente em dias muito quentes, pois ela poderá derreter e até mesmo estragar. Seria melhor deixá-lo em um local coberto e protegido, juntamente com os docinhos.

O QUE VESTIR EM UM CASAMENTO NO CAMPO
Evite tecidos pesados e produções exageradas

Se o casamento for realizado pela manhã, a noiva poderá optar por um vestido mais simples, leve e romântico.(ok!) Tecidos fluidos como a organza, o crepe e a musselina ficam muito bem. Evite modelos muito volumosos, babados, caudas e bordados com brilhos. Se quiser usar luvas, estas deverão ser curtinhas. O buquê delicado, feito com flores de cores fortes. Os cabelos poderão estar soltos e enfeitados com uma guirlanda de flores naturais, ou presos com uma tiara de pérolas.

À tarde o visual não muda muito, afinal, você ainda está no campo! Se o casamento for realizado às 18 horas, você poderá acrescentar um pouquinho de brilho ao traje, já que a festa se estenderá até a noite, mas nada exagerado! O buquê pode ser um pouco maior. As luvas poderão ser curtas ou 3/4 e os cabelos, presos de forma descontraída ou soltos e enfeitados com delicadas tiaras ou guirlandas de flores artificiais.

Após as 20 horas seu vestido poderá ser mais elaborado. Brilhos, decotes e um véu mais longo (removível) para a cerimônia religiosa podem ser usados sem problemas. Se quiser usar luvas, estas podem ser longas ou semi-longas e o buquê mais requintado, feito de flores nobres. O cabelo preso poderá ser enfeitado com uma linda tiara. Mas lembre-se: o visual princesa não combina com um casamento no campo. Evite tecidos pesados, vestidos com caudas imensas e sapatos de salto muito alto.