Retrospectiva 2010

Retrospectiva 2010 – Esse ano resolvi fazer um texto corrido de retrospectiva…

A virada na praia de Boiçucanga foi maravilhosa… lotado, mas com tranquilidade, com lindos fogos. Conseguimos fazer nossas obrigações com tranquilidade, com direito a banho de champagne, rosas ao mar, lírios ao rio e um belo banho nas águas de Iemanjá.

Eu sabia no fundo que seria um ano de incertezas, devido a uma grande mudança na empresa…. Mesmo assim, o meu lema “fracassar está fora de questão!” martelou na minha cabeça o tempo todo.

Pelo primeiro ano na parte da vida que eu me lembro, comemorei meu aniversário antes… e realmente dá azar… a noite não acabou lá como eu achei que deveria, apesar de ter sido uma festa excelente… se bem que os problemas foram resolvidos antes que o dia acabasse, então… saldo positivo ainda assim.

Lorinho cresceu muito no trabalho, em contrapartida, o meu ano de trabalho foi estranho…. mais uma lição de fé e paciência, coisa que ando aprendendo a ter mais, após ser uma ‘dona de casa’. É fácil ter fé quando as coisas estão boas… fé, mesmo, tem quem não esmorece nas dificuldades!

Foi bacana rever algumas pessoas da facool. E sinto muito por nem todo mundo, sem exeção. Aprendi que todo mundo pode ser um bom contato, senão pessoal, ao menos profissional. E ter pessoas a nossa volta nunca é demais. Foi bom trocar idéias e ver que a vida não difere tanto assim no quintal

Mês a mês que antecederam o casório, muito, mas muito stress, mesmo. Escolhemos levar esse assunto de uma forma mais light, pois sempre que iámos conversar sobre dava briga e dor de cabeça. Então, a decisão mais certa foi dissociar um pouco…

2010 foi um ano apertado financeiramente falando… casamento, móveis…Sonho que se sonha junto, definitivamente, torna-se realidade…. a melhor coisa do mundo é ter a certeza de que, aconteça o que acontecer, você tem alguémm pra contar!

A palavra que resumiu 2010 pra mim foi fé… Comecei a trabalhar no terreiro e apesar de saber que a lã não pesa pro carneiro, sei que quanto mais as reponsabilidades aumentam, mais aumentam as provas…. e acho que passei por elas com louvou e agradecendo semrpe a Deus por me dar apenas aquilo que eu poderia suportar.

Lorinho teve uma crise de angina… prometeu regimes, maneirar na cerveja e aumentar a malhação. Balela que foi esquecida no momento da alta… fazer o que…

Nesse ano descobri que amigas que há muito tempo não vejo e nem sequer falo muito, me acompanham por aqui, pelo orkut… sabem da minha vida e torcem por mim. Eu digo que amizade não é estar junto-colado-grudado o tempo todo. O nome disso é encosto. Amizade é outra coisa!

Amizade é saber que alguém, longe ou perto, torce por você e fica feliz com suas consquistas. Alguém que faz uma oração quando você está em aflição e que te dá bronca quando precisa.

Perdoei de coração em 2010.

Em um papo cabeça, Lorinho me disse que ‘crescer não é tirar de um lado para colocar no outro. Crescer e continuar fazendo as coisas que sempre fizemos e conseguir mais’. E nessa hora eu percebi o quanto crescemos em dois anos de relacionamento. Juntos. Espiritualmente e como pessoas. E materialmente também, claro.

Revi tanta gente amada no meu Open-House-Chá-de-cozinha… que dia feliz, feliz, feliz demais!!!

Alguns susto na saúde além do Lorinho… vô meio baquiado com a diabetes, Sogra e sua pressão alta…. Rezei muito pela Anna… rezando muito pelo Negão – que até o momento em que escrevo esse post está no hospital após seu quarto derrame… mas está se recuperando… Tanto a agradecer por apesar das dificuldades, todos estarmos aqui, com coragem pra lutar!

Meu casamento foi o acontecimento do ano, claro… tantas contas, tanto nervoso, tantas decisões difícies para adequar vontades, crenças, expectativas familiareas, orçamentos, personalidades…. Na noite anterior ao civil, chorei feito uma criança… era a última noite na cama que durmia há 26 anos… E eu que achei que não ia chorar…. e eu que achei que não ia sentir muito a mudança, pois estamos há dois quarteirões. O cheiro do bairro é o mesmo! A padaria, a farmácia, a feira…. tudo será como antes….Nossa como senti medo! Medo de não dar conta. medo de ainda ser criança demais. O único medo que não tenho é o medo de estar enganada quanto a essa decisão…. de resto, tinha todos. Definitivamente eu menosprezei o casamento civil no cartório…. achava que seria frio, rápido e sinceramente, me enganei…
Minha preparação foi em casa, aos olhos de minha mãe e de minha vó…. meus padrinhos chegaram, Lorinho chegou e fomos pro cartório… lá encontrei meu pai, os outros padrinhos, minha sogra….A espera foi rápida e a cerimônia também! Mas foi muito emocionante… Estávamos todos muito “fortes”, até o juiz dizer o nome do pai do Roger, que já está no plano espiritual…. ai olhei pro lado e vi o bichinho desabar… pronto…. comecei a chorar também, minha mãe parou de segurar o que vem segurando desde que começaram os verdadeiros preparativos….. Na hora das alianças, Lorinho e eu voltamos a nos emocionar… foi um “sim” profundo, baixo…. porque realmente a voz demora pra sair…. Depois, viemos pra casa onde demos um almoço onde estavam somente parentes e padrinhos…. acabou cedo, mas as emoções foram muitas…. Meu querido amigo Negão, no meio da festa, fez um brinde, onde leu o maravilhoso “Amor ao Pé do Altar” e disse as palavras que com certeza todos que ali estavam queriam dizer….O casamento no religioso, nossa maravilhosa casa, foi uma semana depois e teve toda a emoção que eu achei que teria…

A natureza chama. O marido clama. E cá estou eu pensando em engravidar. Quer dizer: pensando em parar com o remédio, eliminar as barreiras e deixar na mão de Deus, como disse meu amigo Guilérme. Eu, que nem pensava em casar, agora penso em ser mãe!

Com certeza erro em algumas atitudes, mas elas são apenas tentativas de fazer o melhor. Vâmo que vâmo, 2011, porque o show não pode parar!!!

A todos os amigos que me mandaram correntes que prometiam fortuna e dinheiro em 2010, aviso que: NÃO FUNCIONOU!!!! Tudo o que ganhei veio com muito, mas muito trabalho…. Por isso, para 2011, mandem o dinheiro diretamente! Obrigada.

Postado em Sem categoria

Feliz Natal

Eu que era de tantos textos bonitos e longas palavras, na noite de hoje só tenho a dizer: “muito obrigada, meu Pai! Muito obrigada!!!!!!!!”

E se você é capaz de comemorar esta noite, pare por um minuto na hora dos fogos e lembre-se de agradecer ao aniversariante tudo de bom que teve em 2010… lembre-se de agradecer por ter conseguido suportar seus problemas em 2010…. aproveite que o mundo estará cheio de energia boa hoje e jogue um pouco de amor pro Universo!

Que as luzes dessa noite de Natal iluminem nossa caminhada pra um 2011 cheio de energia, prosperidade, bençãos e saúde!

Postado em Sem categoria

De volta e em dilema…

A natureza chama. O marido clama. E cá estou eu pensando em engravidar. Quer dizer: pensando em parar com o remédio, eliminar as barreiras e deixar na mão de Deus, como disse meu amigo Guilérme.

Eu, que nem pensava em casar, agora penso em ser mãe! Veja só. Eu tenho bons exemplos perto. Vejo o Markinhos da Bele e do Negão, vejo o Victor da Bianca, vejo a linda Annalu da Anna e do Ale, vejo a Renata dando conta de gêmeos, a Kris e seu linducho, a PV… nem precisa pensar muito!

Ah, claro que precisa. Sou neurótica e estou pensando em um ‘problema’ por dia. Na sexta foi o dia de pensar na vida profissional. Trabalho a quase quatro anos no mesmo local e acho que todas as mães passam pela preocupação da volta pós-licença. Afinal, são meses longe do trabalho. A estabilidade obriga que seu chefe te engula por mais 5 meses (6 dependendo da convenção), então, na pior das hipóteses, é nisso que temos que pensar. Mas, o que me deixou tranqüila foi pensar que, caso haja uma mudança de trabalho no próximo ano – afinal, nunca ninguém está livre disso – terei que esperar mais alguns anos para engravidar (porque e engravidar com pouco tempo de empresa é chato – terei que esperar mais tempo e não é o caso. Momento profissional: ok!

Lorinho diz que ‘não quer ser avô, que já está com 30. Eu do lado de cá, penso que 26 é uma boa idade e que quanto mais velha a gente fica, aumentam os riscos de problemas, etc . Idade: ok!
Já ouvi “ahhhhhhh, com tão pouco tempo de casada… curte mais um pouquinho”…. Primeiro: o que eu perderia por estar grávida nos próximos nove meses? Pular de pára-quedas? Eu passo. Baladas? Já passei. Estou esquecendo algo?
Segundo: Marido quer muito. Eu também quero, apesar da racionalização e do medo…. Momento pessoal: ok

Meu único problema atende por: cocô. E vômito. Sério. A dúvida é: será que sou capaz de olhar para uma fralda cheia de bosta de neném e trocá-la? Ou será que consigo ficar firme diante de uma bela vomitada azeda? As mamães que me perdoem, mas é o lado racional da coisa… Será? Existem crianças auto-limpantes? Momento cocô: oh, dúvida cruel!

Eu e minha mania de listas prós e contras…