EU vou!

Ganhei dois VIPs para a estréia do lindo Murillo Flores na quinta-feira. Bóra lá prestigiar!

“Murillo Flores apresenta uma comédia completamente despudorada, com palavrões, sem recalques e absolutamente divertida, falando diretamente com a platéia, mudando o repertorio a cada noite e correndo de longe de qualquer regra que define o tal Standup Comedy. O que é proposto é livre, sem compromissos ou categorizações, afinal, não é o que você está pensando!”

Mais informações:
Em cartaz de 25/02 até 29/04/2010
Teatro Ruth Escobar – Rua dos Ingleses 209, Bela Vista – São Paulo/SP
Telefones: (11) 3289-2358
Site: Ruth Escobar

“comédia completamente despudorada, com palavrões, sem recalques e absolutamente divertida”. Não preciso de mais nada pra me convencer! Lá estarei!

Anúncios

Dalva e Herivelto

As orelhas de Fábio Assunção e Maria Fernanda Cândido devem arder a cada capítulo que assisto da série da Globo… Não consigo entender como um homem pode ser tão filho da puta e como uma mulher consegue se envolver com um homem casado, sabendo que está destruindo uma família….

E também fico pensando quantas de nós já não fomos ‘Dalvas’ uma vez (ou várias vezes), fingindo não saber, aceitando o inaceitável, sendo taxada de vagabunda por dar o troco na mesma moeda (mulher não trai, se vinga…)… Quantas de nós já não se desmancharam por um beijo, quantas de nós já não tentaram de tudo, até o final, fazendo coisas que até Deus duvidaria em nome de uma paixão… Quantas de nós já não buscamos ajuda com os amigos dele, quantas de nós já não tentamos ameaçar ‘a outra’…. Quantas de nós já não tivemos aquela amiga que fez de tudo para ajudar? E quantas de nós não tivemos aquela outra amiga que nos chamava de burra por fingirmos não ver aquilo que sentíamos?

Quantos de nossos Heriveltos não começaram uma verdadeira guerra contra nós, dizendo e publicando coisas terríveis, insinuando coisas para deixá-las arrasadas?

Quantas de nós, Dalvas, não nos entregamos uma última vez, murmurando: “Vai ser tudo como era antes… Diga que vai, meu amor…”?

Algumas morrem de amor.. outras revivem para o amor… só que, de uma forma, ou de outra, quantas de nós não fomos Dalvas uma vez na vida?